02/02/2011

Vogais, sons curativos. Mantras

Rating:★★★★★
Category:Other
Sons das vogais ajudam a combater doenças

Mantras são sons que, ditos de modo adequado, abrem as portas da nossa percepção, como num passe de mágica.

OM é o mais conhecido e o mais poderoso de todos os mantras. Mas os sons das vogais também consituem mantras magníficos, que trazem muita força, sobretudo quando o objetivo é o melhor funcionamento dos chacras, os centros de energia do nosso corpo.

Conheça a seguir os sete mantras vocálicos, os chacras a que estão associados e a função específica de cada um deles.

U
Associado ao chacra básico, que fica na parte inferior da espinha dorsal. Ele equilibra as funções de excreção e de reprodução. Pessoas com intestino preso ou desinteresse sexual, por exemplo, devem mentalizar e entoar esse mantra.

Ó
Associado ao chacra umbilical, que fica logo abaixo do umbigo. Atua positivamente na funções da locomoção, como andar ou correr. Uma pessoa reumática, muito tímida, ou mentalmente travada, deve mentalizar e entoar esse mantra.

Ã
Associado ao chacra do plexo solar, que fica próximo ao estômago. Ajuda a organizar os pensamentos. Assim, uma pessoa indecisa diante de várias opções deve mentalizar e entoar esse mantra.

Á
Associado ao chacra cardíaco, que fica sobre o coração. Desenvolve o amor fraternal, as grandes amizades. Serve também para aceitar as coisas que não podemos modificar. Portanto, uma pessoa de mau humor, deve mentalizar e entoar esse mantra.

Ê
Associado ao chacra laríngeo, que fica perto do olho. Traz o conhecimento. Ajuda a recordar tudo o que lê e ainda permite que se ouça a voz interior. Estudantes em época de provas, por exemplo, devem mentalizar e entoar esse mantra.

É
Associado ao chacra do terceiro olho, que fica entre as sobrancelhas. Favorece a intuição. Quando é preciso escolher entre vários caminhos, além de fazer uma análise objetiva do problema, precisamos também contar com a força deste chacra. Por isso, as pessoas indecisas são as que mais devem mentalizar e entoar esse mantra.

I
Associado ao chacra coronário, que fica no alto da cabeça. Ajuda a desenvolver a clarividência, a percepção plena de si próprio e dos outros e também dos planos superiores de existência. Quem evolui pelos caminhos do mantra I pode chegar ao conhecimento de Deus.

Sente-se confortavelmente, com a cabeça voltada para o Norte, e repita, no mínimo oito vezes em seqüência, a vogal associada ao chacra que precisa fortalecer (Por exemplo: UUUUUUUU).

Você deve reservar pelos menos 10 minutos por dia, de preferência às 4, às 6, às 12, às 15 ou às 18 horas, para se concentrar e entoar os mantras.


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Auto-Iniciação na Egrégora Tântrica e Hindu e no Mantra Om Sri Gam


Outra forma mais simples de consagrar um mantra é fazer esse ritual utilizando o mantra que mais te agrada. Esse ritual tem muita força e pode substituir o guru ou o iniciador.

Observe atentamente as instruções abaixo, mediante as quais deverá fazer um ritual de auto­iniciação. Feito isso, uma vez somente, poderá se utilizar dessa prática para soluções de problemas ou para realização de seus objetivos na vida. Fique claro, unicamente, se as Leis Universais de Causa e Efeito (Karma) venham à julgar seu mérito.

Diariamente, milhares de praticantes do Tantra e do Hinduismo, no mundo todo, trabalham com uma corrente de pensamentos positivos que envolvem todo o planeta. Essa prática é somada durante vinte minutos por dia, durante todo o sempre, produzindo então efeitos variados. É a Egrégora Oriental.

Na primeira prática que fizer, estará realizando, como dissemos, um ritual de iniciação. Nas vezes seguintes, poderá recolher-se todos os dias que desejar e estabelecer contato com a Egrégora, devendo ser realizado da seguinte maneira:

- Pontualmente às 20:50 hs, recolha-se num local tranqüilo e sereno, onde não será incomodado. Sente-se de frente para o oriente. Utilize-se dos 4 elementos acendendo uma vela, (fogo), um incenso (ar), colocando uma flor plantada perto de você, ou uma pedra (terra) e um copo de água (água). Faça várias respirações profundas abdominais ou, se domina, faça a respiração completa.

- Olhe fixamente para o símbolo do OM (yantra) abaixo. Será seu protetor astral.

- Até às 21 Hs pontualmente, entoe em voz baixa o Mantra OM diversas vezes como se segue:
.........Oooommmmmm.............Ooooommmmm.....................Ooooommmmmmm......

- Durante esses dez minutos, utilizando o Mantra OM com muita devoção, dirija seu pensamento às egrégoras de auto-suficiência, compaixão, amor e consciência das escolas hindus enfocando saúde, amor, poder, prosperidade e excelência. Visualize esse pensamento saindo de sua testa em direção ao símbolo do OM (yantra) sob o formato de luz azul índigo e envolvendo-o. Ele, por sua vez, filtra e remete essa vibração até as egrégoras.

- Às 21 horas interrompa a vocalização do Mantra e comece a mentalizar que do símbolo do OM (yantra) parte um foco de luz azul índigo que toma conta de sua aura e penetra seu corpo físico, proporcionando seus objetivos de vida, ou seja, tudo aquilo que você deseja e necessita.
Do mesmo modo em que emitiu dez minutos para as Egrégoras receberá a realização do que mentalizar, agora, no período das 21 Hs até às 21:10 Hs.

- Às 21:10 Hs, feche a Egrégora desse exercício místico, pronunciando as seguintes palavras: "Que, Os Mestres do Tantra e do Hinduísmo deêm-me o prazer auspicioso da minha iniciação, (e em outras práticas o que tiver mentalizado). Seja assim “OM Sri Gam” (Pronuncie OM Xiri Gammm) - Repita o Mantra OM Sri Gam 8x no mínimo. Se preferir, utilize-se de outro Mantra hindu.

Você é um iniciado(a) no Tantra e no Hinduísmo a partir de hoje e sempre poderá utilizar esse Mantra OM Sri Gam (ou outro Mantra de sua escolha) para meditação ou mesmo para obtenção de prosperidade, saúde, auto-suficiência e força. Esse Mantra é um dos mais fortes que conheço.

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Mantram Diversos Tradições Xamânicas e Indígenas

Os Xamãs – Sacerdotes de diversas tradições de organização tribal utilizam-se da voz como instrumento musical na prática de canções e mantram. Esses sons são transmitidos por espíritos, guias e seres de poder ao xamã, quando este está em transe. Os sons são utilizados para cura, exorcismos, iluminação. Os Xamãs norte-americanos utilizam muito o som “Ah Hey Ya”.
Um Xamã conhecido como Joseph Rael – “Bela Flecha Pintada” – da tradição Ute-Tewa, atribui os seguintes significados às palavras utilizadas nos sons xamânicos:

Ah – Purificação
Aye (E) – Consciência
Eee – Clareza de Visão
Oh – Curiosidade
Ooo (U) – Elevação

É uma experiência enriquecedora ouvir músicas xamânicas seja “in loco” ou num CD, como o “Sacred Dance” Vol I e II.

Mantram do xamanismo brasileiro, conhecido como Katimbó. São sons que se utilizados nas matas ou natureza com profunda concentração, permite experiências místicas muito interessantes. Em várias formações de Reiki xamânico que ministrei, seja nas matas ou até na cidade, é comum os alunos terem contato com seu animal de poder, guias e muitas vezes antepassados. E há casos de incorporação de espíritos indígenas, inclusive por pessoas que não haviam manifestado mediunidade.
Queime incenso se fizer a prática longe da natureza.

Mantra que desperta o homem que cura, nas matas.
ABACAEM – Utilize assim: AAAAAAAABAAAAAAACAAAAAEEEEEEMMMMM (se possível visualize um pajé (xamã).

Mantra que desperta o guerreiro
JAUARANA - Utilize assim: JAAAAAAUUUUUAAAARAAAAANAAAA

Mantram de contato com a Deusa Mãe, a mãe da terra e criadora.
CUNHANTAM – CUUUUUNHANNNNTANNNN (Sinta o contato com a energia abaixo de seus pés).

Mantra de contato com o Deus Pai, o criador.
TUPAN – TUUUUUUPAAAAAANNNN (Sinta toda a energia a sua volta).

Mantra de contato com o filho/filha da eternidade.
TORÉ – TOOOOOORÉÉÉÉÉÉÉ (Sinta-se como o filho/filha da eternidade).

Mantra de contato com as forças da floresta, forças do sol, lua, árvores, flores, rios, montanhas, etc.
SAMANY Y YARACY
YACY A ACAUAN
JUREMÁ – CA – Á - YARI
Mantra que nos dá a força de conduzir a própria vida e de ser autêntico.

TONAPA - Utilize assim: TOOOOOOOOONAAAAAAAAPAAAAAAAAA

Mantra da própria alma.

ANGA - Utilize assim: AAAAAANNNNGAAAAA

Mantra de contato com a aldeia das almas, o mundo invisível de nossos ancestrais.

TABANGA – Utilize assim: TAAAAABAAAAANGAAAAA

Mantra de cura que se utiliza da energia das florestas e suas possibilidades de cura.

JUREMA - Utilize assim: JUUUUUUUUREEEEEEEMAAAAAAAAA

Mantram de animais de poder

Puma ou Jaguar

YAWARA - Utilize assim: YYYYYYAAAAAWAAARAAA

Poder Anacondas

JIBÓIA - Utilize assim: JIIIIIBÓÓÓÓÓÓIIIIIIIIIAAAAA (Segurança, flexibilidade. .)

Peixe

Pirain - Utilize assim: PIIIIIIRAAAAAAAIIIIIIINNNNNN (Agressividade quando necessário).

Cachorro Seluagel

GUARAXAIN – GUAAAARAAAAAXAAAAAIIIIINNNNNN (Liberdade)

Mantram da egrégora dos pagés, animais de poder, Deus, Deusa, filho/filha, floresta e da alma:

KATIMBÓ

Pratique este mantram andando no lugar e repetindo: KATIMBÓ, KATIMBÓ, KATIMBÓ, KATIMBÓ, KATIMBÓ. . .


Aqueles que são médiuns de incorporação de escolas ligadas a natureza como a Umbanda e Candomblé podem passar por incorporações de seres da natureza.

Canto Gregoriano

Muitas vezes uma missa em latim com orações e Cantos Gregorianos é uma viagem de paz e iluminação.
Santo Agostinho definia os hinos cristãos como “Louvor a Deus através do Cântico”. Liturgias como o Kyrie Eleison (“Senhor, Tende Piedade”), Laudamus te (“te adoramos”), En Eno Christus (“o Cristo em mim”) Dona Nobis Pacem (“Dai-nos Paz”) e Ave Maria despertam o coração daqueles que se identificam com essa forma de oração (algumas pessoas não se sentem felizes com missas gregorianas).
Mantra Sikh

O Sikismo é uma religião muito popular na Índia, que prega como qualidade para seus praticantes a coragem.

ECK ONG KAR NAM SIRI WHA GURU
A tradução é Deus é Um e Supremo, seus nomes são vários.


Mantra Celta


AWN – AAAHHH... OOOOOHHH... NNNN
É um mantra de cura.


Mantra Muçulmano

BISSM LAH – AL – RAHMAN – AL - RAHIM

(Juro por Deus Todo Poderoso, Todo Misericordioso)


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Mantram do Islã

Alguns místicos islamitas ou sufis fazem práticas de Mantram utilizando os 100 nomes que Alá, o Deus do povo Islâmico possui:
Al Khabir: “O consciente”. Esse som é utilizado para mudanças de hábitos, situações que se repetem, vícios.
Al Latif: “O sutil”. Permite meditarmos sobre o futuro, ter esperança no que virá.
Al Wali: “O dirigente”. É utilizado para proteção das residências e bens materiais. Pode-se mentalizá-lo ou entoa-lo ao entrar e sair de um local.
Al Hakin: “O sábio”. Esse nome é utilizado em situações profissionais difíceis.
Al Hadi: “O guia”. Diz a tradição para utilizá-lo 7 vezes a fim de trilhar o caminho da vida justa.
Al Batin: “O buscador”. É um som que permite ao praticante aumentar as suas intuições sobre caminhos de vida.
Al Badi: “A origem”. Entoando-o por 7 vezes pode-se enfrentar problemas de difícil solução.
Para se praticar esses Mantram, visualize antes um grande sol que ilumina tua cabeça e vai te purificando e clareando os pensamentos e ações.
An-Nur: Deus, a Luz.
Insha Allah: se Deus determina.
Ya Salaam: se Deus quiser.

Sufismo

É um ramo místico do islamismo.
O entoar do coração com as mãos sobre a têmpora ou a mesma postura com as mãos enquanto se pronuncia Alá em voz alta.

No “Livro Sufi de Cura”, Shaykh Moinuddin nos escreve que em suas práticas utiliza-se das vogais “A”, “I” e “U”.
Som longo: A
Som longo: I
Som longo: U
Também nos ensina Shaykh Moinuddin que o nome “Allah” com o alongamento do som da vogal “A” ativa o coração.
“Hu” – é um mantra que os súfis se utilizavam e sua tradução é “Ele”. Deus – Pai/Mãe.

Hu E – Haiy – Deus vive ou é luz.

Mahabud Lillah – Deus é o receptáculo de amor

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

OM Mani Padme Hum
A iluminação vem do Tibet

O Tibet, considerado um país “mágico”, que preserva e respeita as práticas de Mantram, não faz desse instrumento objeto de comércio, nem simplesmente os utilizam para benefícios pessoais.
No Tibet, o Mantra é um meio para criarmos uma realidade mental de iluminação. A utilização do som faz nascer algo na mente e conseqüentemente no plano material, porque aquilo que a pessoa pensa, tende a se realizar na matéria, Buda diz: “O homem é aquilo que ele pensa.” O Mantra, portanto para o tibetano, tem uma força incrível. Somente quando o Tibet foi invadido pelos chineses e os monges exilados em vários países, é que esta tradição, até então secreta, se espalhou pelo mundo.
No Tibet do passado, os homens davam muita importância para aquilo que eles falavam, comunicavam e pensavam. Hoje, nos ensinam os Lamas, a TV, o Rádio, os jornais e nas pregações, as palavras são “jogadas ao vento”, as palavras muitas vezes se referem a aspectos mais perversos como por exemplo: besta quadrada – que é o quadrado, o limite, a besta que é o próprio mal. Quinto dos infernos – que é o pentagrama (estrela de cinco pontas) ao contrário. Desgraçado - sem a graça de Deus; desanimados –dês sem ânima - alma sem alma. Coitado – nascido de coito; enfim, as palavras hoje muitas vezes tem essa perversidade.
Os tibetanos mantêm a tradição de palavra viva que é a ciência do Mantra. Cada letra do Mantra para o tibetano é tratada com devoção, como algo muito precioso, como uma jóia.
O Mantra mais forte e utilizado de toda a tradição tibetana, é o Mantra OM Mani Padme Hum.
Helena P. Blavatsky ensina que “Om Mani Padme Hum (os tibetanos pronunciam Om Mani Peme Hum), é associado ao bodhisattva da compaixão, Avalokiteshvara. Nesse Mantra, a sílaba Om representa a presença física de todos os buddhas. A palavra sânscrita Mani, jóia, simboliza a jóia da compaixão de Avalokiteshvara, capaz de realizar todos os desejos”.. A palavra Padme significa Lótus, a bela flor que nasce no lodo; do mesmo modo, devemos superar o lodo das negatividades e desabrochar as qualidades positivas. A sílaba Hum, representando a mente iluminada, encerra o Mantra. Assim a frase mística (Om Mani Padme Hum), quando corretamente compreendida, em vez de traduzida por palavras quase vazias de sentido como (Oh! A Jóia do Lótus!), contém uma alusão a esta indissolúvel união entre o homem e o Universo, interpretada de sete maneiras diferentes, com a possibilidade de sete distintas aplicações a outros tantos planos de pensamento e ação. Escolhemos como por exemplo a fórmula (Om Mani Padme Hum) por causa do seu poder quase infinito nos lábios de um Adepto, e de sua potencialidade quando pronunciada por um homem qualquer”.

Estudemos o mantra OM Mani Padme Hum (Tibetano) em 4 partes.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


Om (o mestre do som)


O OM, para o tibetano, dissolve o intelecto e a mente. Ele é o alto de uma pirâmide, a própria consciência, a luz, o som da iluminação, desperta nossa Terra, (sensação), água, (sentimento), fogo, (ação) e o ar, (pensamento).
Representa também Brahma, que é a mente universal. A vocalização ou a mentalização do OM, liberta de tudo aquilo que precisa ser libertado, é o som que afasta o apego. O OM conforme foi estudado no capítulo OM, a mãe de tudo faz parte de várias culturas, um dos nomes de Deus que mais aparece na Bíblia Judaica/ Cristã, é Adonai que significa Adon – Deus, Ai-meu Deus; e nós vamos encontrar na palavra Adon, o OM. Pitágoras, que utilizava o OM, chamava-o de harmonia das esferas, dizia que “cada som tem um corpo sutil, um corpo de vibração de ritmo e de átomos”.
Os tibetanos, na mentalização ou na vocalização do som OM, acreditam que seja necessária concentração. Este som não pode ser produzido mecanicamente. Muitos alunos já me perguntaram se simplesmente escutar um Mantra num CD ou Rádio daria a consciência. Acredito que o importante não é que o Mantra esteja no teu ouvido, mas no coração e na mente.

Embora seja expresso pela mente ou pela boca, o som vem do coração. Os tibetanos não aceitam que os Mantram sejam superstições, nem que sejam fórmulas mágicas e nem que o poder deles venha do psíquico do praticante ou que os “feiticeiros” usem os Mantram para conseguir algo.
No Tibet se dá muita importância para a Iniciação e a prática contínua do Mantra, espera-se que quando o Mantra é passado, que não seja um conhecimento teórico e sim algo para ser praticado. O estudo de muitos Mantram, segundo os tibetanos, foi uma das causas da queda da tradição mântrica. As pessoas estudavam, estudavam, mas não praticavam, não buscavam a “imortalidade da alma” através desta prática.
Para Buda, e praticantes budistas o OM protege, afasta muitos perigos e cria condições benéficas. Mas, muitas vezes, o Mantra não protege o homem de outro homem, da crueldade de outro homem. Tanto é assim, que todos os iluminados praticantes foram mortos pelo homem, porque o homem tem o livre arbítrio, ele tem um direito de agir como preferir.O Mantra, portanto, não pode proteger o homem do próprio homem. (Medite nisso). Os índios que tinham conhecimento mântrico e de fé foram mortos aos milhares, negros africanos, com alta magia, foram mortos, os rabinos na segunda guerra mundial e estudantes de Kabbalah foram mortos pela crueldade do homem, mas o Mantra impede de ficarmos depressivos, melancólicos, tristes.
O Mantra permite que tenhamos um renascimento feliz, aliás, essa é uma das principais utilizações do Mantra OM dentro do Tibet: A busca por um renascimento num mundo favorável, porque, segundo os tibetanos uma pessoa pode reencarnar no que é chamado de inferno, também como elementais da Terra, que são plantas, pedras, enfim, como animais, como pessoas ou como “Devas” (anjos), que são seres que não têm corpo, é a ressurreição que Cristo tanto falava, tu não és mais corpo e tu passas a ser, digamos, simplesmente a tua alma, sem corpo físico. Reencarnação é voltar para o corpo e ressurreição é passear, viajar. Enfim, como uma alma, voltar ou não a carne, é uma opção.
O OM nos ensina a meditarmos no som, no ritmo tranqüilo que é a devoção chamada de Bhakti.
- “A essência de todos os seres é a Terra.”
- “A essência da Terra é a água.”
- “A essência da água são as plantas.”
- “A essência das plantas é o homem.”
- “A essência do homem é o verbo.”
- “A essência do homem é o conhecimento sagrado (Rigveda).”
- “A essência do conhecimento sagrado é a música divina (Sámaveda).”
- “A essência da música divina é o OM.”

Mani

O Mani é o som da transformação. É considerado a jóia da mente ou a pedra filosofal, que nos dá a eternidade. Dentro do simbolismo OM Mani Padme Hum, Mani representa uma jóia brilhante, cintilante, perfeita, é considerado também como um cedro iluminado, que no Tibet é chamado de Vajra, que é o diamante da nossa própria mente e o que há de mais consciente nela.
Textos Pali budistas dizem que todas as coisas são precedidas, dirigidas, e criadas pela mente e Mani seria uma mente mais sutil, refinada, compaixão que é a preocupação com todas as pessoas e seres vivos. A tolerância.
O Mani cria a união com todos os seres, cria um Rúpa (forma). Karma Rúpa é o nome de uma forma de pensamento muitas vezes perversa ou egoísta e que pode, segundo as tradições esotéricas, criar um elemento conhecido como “miasma”, ou “encosto”, “obsessor” – um padrão negativo. O Mani atua como ecologia mental, criando um deva rúpa (anjo da mente). O som Mani atua no nosso manas, que é a nossa mente.
O Mani representa o voto do Bodhisatiwa, um ser que escolhe o caminho de auxiliar todos os seres vivos.
Padme ou Padma

Padme representa, a flor de Lótus. Ela nasce nos momentos onde há mais sujeira, mais dificuldade. Nasce da escuridão, abre suas flores somente após ter subido além da superfície do lodo.

Padme ou Padma, ultrapassa este mundo. Existem pessoas que dizem “eu já passei por esta ou por aquela situação”. Já passou mas não ultrapassou, por isso que a situação vive se repetindo e esse som Padme é exatamente ultrapassar. Esse som representa a flor de Lótus que nasce. E cria emoções legais, o que é muito útil para as pessoas que têm dificuldades em lidar com as próprias emoções.

Esse som confere iluminação ao corpo emocional, sensorial, perceptivos, formações kármicas negativas e a iluminação da própria consciência. Também, segundo heremitas meditadores, permite que viajemos no barco do Todol que é um guia na vida após esta vida, no mundo vindouro. No Tibet, não se fala em vida ou morte, só existe a vida, as pessoas nunca nascem e nunca morrem, elas estão “aqui” depois estão “lá”, enfim, esse som facilita nossa passagem para outros mundos. Físicos ou não.
Hum – Exorcizando tuas sombras

Hum é representado como um som de limpeza, um grito de limpeza, um desafio a tudo aquilo que não é legal, aos nossos inimigos que, para alguns, são os pensamentos perversos, para outros são seres malignos, para outros, a ignorância e, para mim, o maior inimigo que temos é o ódio por qualquer ser e por nós mesmos.
O Hum significa o espírito solto para voar, a libertação de tudo aquilo que não faz parte da nossa própria alma. O Hum é universal, total; a descida da eternidade para o nosso coração. O OM é o infinito e o Hum é o finito. Ambos são importantes, mas podemos dizer que o OM também é o meio para compreender o próprio Hum. A eternidade faz com que compreendamos o nosso próprio corpo, por isso o Hum é considerado como se fosse a matéria, como Buda tocando a própria Terra, a nossa mãe Terra, Gaia.


~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~


A palavra Mantra foi traduzida genericamente no ocidente como sons de poder e hoje sua utilização é bem popular, aspecto este que no passado não existiu visto os mesmos serem privilégio de poucas escolas iniciáticas, monges, sacerdotes e iniciados.

Mantra é um termo sânscrito que significa Man- Mente e Tra- Alavanca, portanto Mantra é um instrumento que nos permite alavancar nossa mente a estados de Paz, aquietamento e consciência.

Os Mantram (No Plural se Escreve Assim) podem ser entoados (Swará) ou mentalizados (Manas) o importante é a concentração. A tradução dos Mantram não importa e um exemplo disso é que pouquíssimos cristãos sabem o que significa o Amém (Acrostico de Al Melech Neman – o soberano que nos é confiável).

Os Mantram abaixo relacionados podem ser utilizados tanto em processos meditativos como durante as tarefas do cotidiano.

Kabalístico: Ribonó Shell Olan
Que pode ser traduzido como Senhor Deus do Universo.

Budista: Namo Amida Butso
Eu me refugio na vida eterna dos Budas (iluminados)

Tibetano: Om Mani Padme Hum
É um Mantram Holístico que atua em todos os aspectos da vida.

Cristãos: Maran Atta: Que Deus venha

Proteção (Kabalistico): Ain Lameph Men

Cura (Kabalistico): Yud Yud Yud

Hindus:
Saúde: Om Aditiaia Namah
Prosperidade com Ecologia: Om Ganeschaya Namah
Paz: Om Shanti
Aumento da Capacidade de Amar: Om Klim Krom
Aumento da Capacidade da sexualidade: Om Krim Krom
Criatividade: Om Sarasvatiaia Namah
Proteção: Om Durgaya Namah

O "Pai-Nosso" é sem dúvida alguma o mantram mais utilizado pelos cristãos principalmente nas situações onde se quer a paz, quando há dificuldades na vida, nos momentos de medo e por outras diversas situações.

Segue abaixo uma possível tradução do Pai-Nosso do original em Aramaico. Nós percebemos na mesma uma tradução bem diferente e isso pode ser por interesses obscuros da Igreja Romana. Utilize essa tradução para reflexão, mais em suas orações poderá continuar com a oração em português, pois a mesma lhe foi ensinada desde muito cedo, e portanto está pulsando em seu inconsciênte.

O Pai Nosso em Aramaico
"Abwun d’bwashmaya
Nethqadash shmakh
Teytey malkuthakh
Nehwey tzevyanach aykanna d’bwashmaya aph b’arha.
Hawvlan lachma d’sunqanan yaomana.
Washboqlan khaubayn (wakhtahayn) aykana daph khnan shbwoqan l’khayyabayn.
Wela tahlan I’nesyuna
Ela patzan min bisha.
Metol dilakhie malkutha wahayla wateshbukhta
l’ahlam almin.

Ameyn

Pai Nosso - (Uma Possível Tradução do Aramaico)
Ó Força Procriadora! Pai-Mãe dos Cosmos,
Focaliza Tua Luz dentro de nós, tornando-a útil.
Creia Teu reino de Unidade, agora
O Teu desejo Uno atue então com o nosso, assim como em toda luz e em todas as formas.
Dá-nos todos os dias o que necessitamos em pão e entendimento.
Desfaz os laços dos erros que nos prendem, assim como nós soltamos as amarras com que aprisionamos a culpa dos nossos irmãos.
Não permitas que as coisas superficiais nos iludam
Mas liberta-nos de tudo o que nos detém.
De ti nasce toda vontade reinante,
o poder e a força viva da ação,
A canção que se renova de idade a idade e a tudo embeleza.
Verdadeiramente - poder a esta declaração -
Que possa ser o solo do qual cresçam todas as minhas ações:

Amém


http://www.humaniversidade.com.br/mantram.htm





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Navegando ... Na Luz!